VISITAS

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Profissionalização de mão de obra na impermeabilização

A importância da profissionalização de mão de obra na impermeabilização

A Construção Civil no Brasil está em alta, e com ela, aumenta a necessidade de mão de obra qualificada para execução de serviços diversos em uma edificação.

Encontramos no mercado bons profissionais que sabem executar um bom concreto, realizam uma pintura de primeira qualidade, mas se formos procurar profissionais para executar serviços de impermeabilização, encontraremos problemas.

Infelizmente, criou-se a cultura e o mito de que a impermeabilização é algo ineficaz, caro e desnecessário, devido ao fato de não ser executada na maioria das obras ou por ter sido mal feita.

Estamos falando de obras em geral, desde pequenas até grandiosas. Não é difícil encontrarmos casas familiares com infiltrações de rodapé de parede, reservatórios, lajes, telhas e rebocos internos e externos deteriorando pela ação contínua da água. Em grandes edifícios, também existem problemas graves como corrosão de armaduras, desplacamentos de rebocos e revestimentos, que são conseqüências da falta de proteção contra a umidade.

Por ficar abaixo do acabamento, o consumidor final não tem como cobrar a impermeabilização e o construtor vê nesta área, uma oportunidade de reduzir custos e não a faz.

A falha da impermeabilização nas edificações acelera problemas e mexe no bolso de proprietários e inquilinos de imóveis. Isto acontece devido à falta de conhecimento do assunto pela maioria das pessoas. Outro problema é que grande parte do pessoal envolvido, seja proprietário de empreendimento, ou pessoal técnico, ignora o tema, que deveria ser abordado em projetos específicos de impermeabilização, durante a elaboração dos projetos complementares e do detalhamento do projeto arquitetônico executivo.

A impermeabilização representa um alto percentual dos problemas verificados nas edificações. Temos que os problemas de infiltrações de modo geral estão ligados a três itens: mão de obra, qualidade do material ou especificação de sistemas inadequados.

Levantamentos feitos pelo mercado, indicam que dos problemas ligados à impermeabilização, a deficiência da mão de obra representa 90% contra 10% da qualidade dos materiais.

Podemos explicar esta estatística, pois o mercado construção civil é muito informal e apresenta uma carência de capacitação de mão de obra. O aprendizado na maior parte das vezes se dá com a prática cotidiana e pela orientação recebida por profissionais mais experientes. Os trabalhadores raramente são certificados para atuar em seus ofícios, uma vez que isso não é exigido pelo mercado em que operam.

Faz-se necessário mudar esta consciência urgentemente. Toda cadeia da construção, desde o usuário até o profissional, precisa conhecer e aprender sobre os benefícios da correta impermeabilização de uma obra.

É esta proteção que garantirá durabilidade, bem estar, menor desperdício e menor poluição com menos gastos futuros para refazer serviços.

Um grande passo para a mudança deste quadro é a formação de mão de obra.

Para começarmos a preparar uma construção impermeabilizada é só adicionar ao concreto ou argamassa certos produtos. A maior parte impermeabilizantes são de fácil aplicação e por este motivo devemos preparar e informar os profissionais da área para que esta proteção seja feita.

Nossa missão é de destacarmos a importância, aliada à facilidade de aplicação a um baixo custo. Assim faremos com que os profissionais da construção, adquiram o hábito de usar impermeabilizantes em seus serviços garantindo aquilo que o futuro morador mais quer: uma obra sadia, sem problemas e durável.

*dados extraídos da ABRAMAT

Artigos da revista téchne -22/05/2009

Postar um comentário